Conteúdo da Notícia

Servidores do Judiciário são premiados pela criação de práticas de gestão

Publicado em: 22-08-2017

A entrega do “Prêmio Melhores Práticas de Gestão” ocorreu na manhã desta terça-feira (22/08), no Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). O objetivo é valorizar iniciativas inovadoras de magistrados e servidores que contribuam para otimizar as rotinas de trabalho e melhorar o atendimento ao público.

Os idealizadores das três práticas mais votadas receberam certificados, entregues pelo presidente do TJCE, desembargador Gladyson Pontes. Conforme ele, não há outra forma no serviço público de se premiar os funcionários se não for pelo reconhecimento, pela valorização. É também uma forma de incentivar e mostrar que existe preocupação em dar mais efetividade e eficiência aos serviços.

“Em qualquer organização e no serviço público de algum tempo, temos encontrado segmentos que vêm dando certa importância à criatividade. Fico muito animado quando vejo essa prática sendo exercitada no Judiciário. A gente precisa construir algo inovador, que a população receba como um serviço a mais, que se agrega àquele que o Judiciário já realiza, que é a prestação jurisdicional”, destacou o presidente.

Segundo o secretário de Planejamento e Gestão do TJCE, Sérgio Mendes, todos os trabalhos apresentam caráter de inovação e contribuem para aperfeiçoar as atividades nas unidades judiciárias e administrativas. “Uma vez implantadas, tendem a otimizar as rotinas e melhorar o atendimento ao público. Muitas vezes são práticas simples, mas com perfil inovador. O objetivo é melhorar, fazer mais rápido e com menor custo.”

PREMIADOS

As ações agraciadas com o “Prêmio Melhores Práticas de Gestão”, relativo ao ano de 2016, foram “Formulário de Reclamação Cível em JECC”, idealizado por Evilásio Fontenele, do 15º Juizado Especial de Fortaleza (primeiro lugar); “Reutilização do Ofício Senha de Processo”, de Fernando Paiva e Vileuda Rodrigues, da 37ª Vara Cível da Capital (segundo lugar); e “Portal do Magistrado na Intranet”, de Victor Dias e Felipe Mourão (terceiro lugar).

O servidor que ficou na primeira colocação disse que o formulário é apresentado à parte que chega à Secretaria do Juizado. Caso aceite, ela recebe orientação de como preencher o documento e sobre a data de devolução. “Quando devolve, já saiu intimada para participar da audiência de conciliação. É importante lembrar que é opcional. A pessoa, se preferir, pode relatar o problema a um servidor da unidade. Os casos que não precisam de advogados são aqueles com valor de até 20 salários mínimos”, ressaltou Evilásio Fontenele.

Já Vileuda Rodrigues afirmou que a iniciativa idealizada por ela e pelo colega foi pensada para aproveitar os expedientes não cumpridos e direcionados para o mesmo destinatário, enviados por meio de correspondência. “Era preciso fazer novos expedientes para os que voltavam. Então, a gente resolveu reaproveitar. Isso evita a necessidade de novas impressões, economizando papel e tinta, por exemplo.”

Além de entregar os certificados de menção honrosa, o presidente do TJCE assinou a Portaria nº 1414/2017, que concede elogio funcional aos autores das ações vencedoras. No total, sete práticas concorreram ao Prêmio, instituído por meio do Provimento n° 12/2012, da Presidência do Tribunal.

A solenidade também foi prestigiada pelo superintendente da Área Administrativa do TJCE, Luis Eduardo de Menezes; pelo gerente de Otimização Organização, Welkey costa do Carmo; coordenador de Gestão do Conhecimento e Inovação, Paulo Avelar; e pelos servidores Alaor Albuquerque e Célia Gomes Rodrigues.