Conteúdo da Notícia

Justiça ouve testemunhas do caso Dandara no Fórum de Fortaleza

Publicado em: 10-08-2017

A 1ª Vara do Júri de Fortaleza realizou a primeira audiência da ação penal relativa à morte da travesti Dandara dos Santos. A sessão, presidida pela juíza Danielle Pontes de Arruda Pinheiro, teve início às 14h e terminou por volta de 22h desta quinta-feira (10/08). Foram ouvidas as testemunhas indicadas pela acusação, patrocinada pelo promotor de Justiça Marcus Renan Palácio de Moraes Claro dos Santos e pelo assistente de acusação Hélio Leitão.

Também foram ouvidas as testemunhas indicadas pela defesa, patrocinada pelo defensor público Francisco Firmo e advogados particulares. Três delas, que haviam sido intimadas, não compareceram e deverão ser conduzidas, coercitivamente, para serem ouvidas na próxima audiência, agendada para o dia 5 de setembro, às 14h.

O crime ocorreu no dia 15 de fevereiro deste ano, por volta das 17 horas, no bairro Bom Jardim. Antônio Cleilson Ferreira de Vasconcelos, que utilizava o nome social Dandara, foi agredido com socos, chutes e pauladas, agressões que lhe causaram extremo sofrimento físico e psicológico. Posteriormente, a vítima foi atingida com dois tiros e uma forte pedrada na cabeça, o que resultou em sua morte por traumatismo craniano. As imagens do crime foram registradas por meio de aparelho de telefone celular e divulgadas em diversas redes sociais.

Os réus foram denunciados por homicídio quadruplamente qualificado, por motivo torpe (por ser alimentado por preconceito e homofobia), motivo fútil (pois os acusados acreditavam que Dandara estava cometendo pequenos furtos na região, onde eles praticam tráfico de drogas), meio cruel e com uso de recurso que tornou impossível a defesa da vítima. Além disso, a denúncia incluiu também o crime de corrupção de menores.