Conteúdo

Projeto-Piloto de Teletrabalho

Relação de Unidades e Servidores que participam do Projeto-Piloto de Teletrabalho

No Poder Judiciário do Estado do Ceará, o teletrabalho foi instituído na forma de projeto-piloto, por meio da Portaria nº 224/2018 (DJe 21/2/2018), da Presidência do Tribunal de Justiça, que também criou a Comissão de Avaliação do Teletrabalho (CAT).

Cada unidade participante tem até 3 (três) vagas e cada um dos servidores ocupantes dessas vagas permane, um após o outro, por 2 (dois) meses em regime de teletrabalho, totalizando até 6 (seis) meses por unidade.

Com o objetivo de aferir o impacto do teletrabalho executado em espaços de tempo com duração distinta, cada mês tem a seguinte escala:

  • 1ª e 2ª semanas: o servidor passa 2 (dois) dias em teletrabalho;

  • 3ª semana: 3 (três) dias em teletrabalho; e

  • 4ª semana: 4 (quatro) dias em teletrabalho.

Ademais, durante a execução do experimento, os gestores das respectivas unidades e a CAT analisam o desempenho e a satisfação do servidor participante.

Nesse contexto, o desempenho está sendo medido, sem prejuízo da qualidade, com base na produtividade, que deve ser, no mínimo, 15% (quinze por cento) superior àquela estipulada para os servidores que executarem iguais atividades de forma presencial. Já a satisfação está sendo mensurada por meio de pesquisas presenciais e virtuais.

Ao final do projeto, a CAT elaborará relatório de viabilidade, a ser produzido com base nos seguintes aspectos:

  • produtividade alcançada;

  • satisfação do servidor em teletrabalho;

  • percepção do gestor da unidade participante;

  • impacto do teletrabalho na equipe presencial; e

  • sugestões de melhoria.

Tal relatório será submetido à apreciação da Presidência do Tribunal de Justiça.