Conteúdo da Notícia

Tribunal de Justiça firma acordo para capacitar jovens em situação de acolhimento

Publicado em: 20-03-2017

O presidente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), desembargador Gladyson Pontes, assinou, nesta segunda-feira (20/03), Acordo de Cooperação Técnica Institucional para a qualificação profissional de adolescentes com faixa etária de 14 a 18 anos, em situação de acolhimento institucional. O ato ocorreu no Palácio da Justiça, no Cambeba.

O objetivo é promover a contratação de jovens, na condição de aprendizes, por parte de empresas interessadas, garantindo o desenvolvimento da formação teórica e prática. O chefe do Judiciário estadual considerou ser “notável que os jovens, ao saírem dos abrigos, encontram dificuldade de serem recepcionados pela sociedade”. Disse ainda que as entidades participantes estão construindo “algo positivo em prol da sociedade e para que favoreça esses jovens”.

Também assinou o acordo a vice-governadora do Ceará, Izolda Cela, representando o governador Camilo Santana. Ela destacou que o Estado e a sociedade só “terão sucesso no enfrentamento das grandes problemas sociais com essa integração”. Ela informou que, inicialmente, os jovens passarão por processo de formação profissional para, em seguida, serem recebidos pelo mercado de trabalho na condição de aprendiz.

Integram o convênio a Superintendência Regional do Trabalho do Ceará (SRTE/CE), Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS/CE), Federação das Indústrias do Estado (Fiec), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará (Fecomércio), e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Ceará (Senac).

OPORTUNIDADE
Para o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT/CE), Francisco José Gomes da Silva, a “ideia é que esses jovens que estão aptos a trabalhar, entre 14 e 18 anos, possam ter um emprego com carteira assinada e com um ofício ao saírem dos abrigos”.

Paulo André Holanda, superintendente Regional do Senai, explicou que a entidade irá disponibilizar todas as unidades educacionais para receber os jovens. Ele disse que, inicialmente, serão selecionados 70 adolescentes que receberão ensino profissionalizante e em seguida serão encaminhados para empresas.

Segundos dados da STDS, há 158 jovens, acolhidos em 15 instituições, com perfil para participarem das capacitações.
O convênio prevê ainda que serão identificadas empresas interessadas com o cumprimento da cota de aprendizagem, para acomodar os adolescentes em seus estabelecimentos na etapa prática.

Também estiveram presentes o vice-presidente do TJCE, desembargador Washington Araújo; a desembargadora Maria Vilauba Fausto Lopes, responsável pela Comissão Estadual Judiciária de Adoção Internacional do Ceará (Cejai) e coordenadoria da Infância e da Juventude do TJCE; Josbertini Virgínio Clemetino, secretário da STDS; Fábio Zech Silvestre, superintendente da SRTE; Vanja Fontenele, vice-procuradora geral da Justiça do Ceará; Juliana de Oliveira Guimarães, superintendente da FIEC; Maurício Filizola, vice-presidente do Fecomércio; Rodrigo Leite Rebouças, diretor de educação profissional do Senac; Ananias Pinheiro Granja, vice-presidente do Sinduscon; e Adauto Farias, presidente da Associação Viva-Vida.